Lesões causadas por quedas: onde ocorrem?

17 de agosto de 2022

Lesões causadas por quedas levam a cerca de 9 milhões de visitas a salas de emergência a cada ano e são a segunda principal causa de morte nos Estados Unidos. 

A recuperação de uma lesão grave sofrida em uma queda pode exigir ampla atenção médica e reabilitação física. Na pior das hipóteses, uma vítima de queda morre ou fica deficiente e requer atenção vinte e quatro horas por dia.

A taping fisioterapia é uma alternativa interessante para ter uma recuperação mais rápida, mas é preciso consultar um especialista para ter uma opinião profissional correta sobre isso.

Lesões devido a deslizamentos e quedas podem ser particularmente prejudiciais para os idosos. Entre os idosos, as quedas são a principal causa de lesões fatais e não fatais. As quedas também são um perigo comum em lares de idosos, onde entre metade e três quartos dos residentes caem todos os anos – o dobro dos idosos que vivem em casa.

Onde ocorrem as lesões causadas por quedas?

Entre as lesões mais comuns sofridas em acidentes de deslizamento e queda estão as seguintes:

  • Ferimentos na cabeça. As quedas são a causa mais comum de lesão cerebral traumática. Uma lesão cerebral traumática pode ser uma concussão leve que cicatriza com o repouso, ou uma lesão grave que causa convulsões contínuas, mudanças de humor, comprometimento cognitivo e outros sintomas debilitantes. 
  • Fraturas de quadril. Mais de 95% das fraturas do quadril ocorrem em quedas. Uma fratura de quadril geralmente requer cirurgia e hospitalização por uma semana, seguida de admissão em uma casa de repouso para reabilitação. A cirurgia pode incluir o implante de uma prótese de quadril. 
  • Lesões na medula espinhal e nas costas. O impacto no corpo em um acidente de deslizamento e queda pode fraturar a vértebra ou causar uma hérnia de disco, o que causa dor significativa e limita a mobilidade. Uma lesão medular pode resultar em paralisia permanente, paralisia neurológica temporária ou outra e deficiências sensoriais. Um medicamento para coluna pode resolver a dor, mas é preciso se tratar com um especialista da área.
  • Lesões no ombro. Uma queda pode resultar em uma luxação do ombro ou uma lesão conhecida como “lesão do plexo braquial”. O plexo braquial é uma rede de nervos que conectam a medula espinhal ao ombro, braço e mão. Essas lesões dolorosas são tratadas com cirurgia seguida de fisioterapia para a reabilitação do membro lesionado e em conjunto.
  • Entorses e fraturas. Deslizamentos, tropeços e quedas podem fazer com que a vítima torça o joelho ou tornozelo e a entorse dos ligamentos conjuntivos nas articulações. As quedas causam a maioria das fraturas sofridas por idosos, cujos ossos são enfraquecidos pela idade. As fraturas mais comuns sofridas em quedas são do quadril, coluna vertebral, antebraço, perna, tornozelo, pelve, parte superior do braço e mão.

Quais pessoas correm mais risco de cair?

Embora as quedas às vezes tenham uma única causa, na maioria dos casos elas se devem à presença de diferentes fatores de risco:

  • As próprias limitações orgânicas associadas ao processo de envelhecimento.
  • Doenças crônicas que podem causar uma limitação funcional.
  • A presença de uma causa desencadeante.
  • Os fatores de risco que predispõem a quedas em idosos podem ser o resultado das alterações sofridas pelo indivíduo, fatores intrínsecos ou causas ambientais externas.

Fatores intrínsecos

a) Envelhecimento fisiológico

O processo de envelhecimento fisiológico leva a uma deterioração do controle postural e à capacidade de responder a situações de desequilíbrio. 

Com a idade, a maneira de caminhar é modificada, são necessários passos mais curtos, lentos e separados, para evitar perder o equilíbrio.

b) Distúrbios visuais, auditivos e vestibulares

Com a idade, certas patologias do sistema visual (cataratas, perda de acuidade visual, glaucoma, retinopatias, maior dificuldade de adaptação à escuridão…), auditivas e vestibulares são mais frequentes, que causam vertigem e desequilíbrio e alteram a orientação em relação aos objetos no ambiente.

c) Presença de doenças crônicas

À medida que a idade aumenta, as doenças crônicas que predispõem ao aparecimento de quedas são mais frequentes. Entre eles, destacam-se os seguintes:

  • Doenças do Sistema Nervoso: acidentes vasculares cerebrais (trombose e hemorragias cerebrais), doença de Parkinson, demências…
  • Doenças cardiovasculares: arritmias cardíacas, hipotensão postural, síncope, insuficiência cardíaca…
  • Doenças do sistema musculoesquelético: osteoartrite, artrite reumatoide, deformidades nos pés, fraturas anteriores nos membros inferiores, fraqueza muscular nas pernas…
  • Depressão.

d) Doenças agudas

Desidratação, anemia, sintomas febris, insuficiência cardíaca… podem contribuir para o aparecimento de quedas.

e) Tomar medicamentos

Tomar 4 ou mais medicamentos todos os dias predispõe a quedas. As drogas mais relacionadas ao aparecimento de quedas são sedativos e tranquilizantes (benzodiazepínicos), anti-hipertensivos, especialmente diuréticos que podem favorecer a hipotensão e/ou diminuição do sangue no cérebro, e antidepressivos. 

Além disso, os idosos muitas vezes não conseguem atender às doses, são confundidos entre os diferentes medicamentos e automedicados. 

Tudo isso, juntamente com a polifarmácia, torna as reações adversas medicamentosas mais frequentes na população idosa e aumenta o risco de queda.

f) Histórico anterior de quedas

Está provado que os indivíduos que sofreram uma queda correm maior risco de cair novamente.

Fatores extrínsecos

Eles estão envolvidos em 77% das quedas em pacientes idosos. São aqueles relacionados à atividade que realiza ou ao ambiente social e familiar em que atua.

a) Atividade realizada

A maioria das quedas ocorre durante a realização de uma atividade regular. Uma atividade potencialmente perigosa é descer escadas (em vez de subir as escadas), sendo aqui que 10% das quedas ocorrem.

b) Meio Ambiente

Quedas dentro de casa são mais frequentes do que na rua. Vários fatores de risco extrínsecos foram descritos, tanto em casa quanto fora de casa:

  • Em casa: as quedas dentro de casa podem ser influenciadas por fatores como a existência de pisos ou encostas irregulares, pouca iluminação, escadas sem corrimãos ou com degraus muito altos, pias e banheiros muito baixos, falta de alças nos chuveiros, tapetes, cabos soltos, móveis mal colocados, camas muito altas, pisos escorregadios, etc.
  • Fora de casa: Em relação ao ambiente fora de casa, encostas e obstáculos nas calçadas, má conservação da calçada, pisos escorregadios, ausência de superfícies antiderrapantes em escadas ou rampas em locais públicos, degraus muito altos no meio de transporte predispõem a quedas…

Conclusão

Para fortalecer os músculos envolvidos em todos os movimentos é essencial praticar atividade física ou exercício físico. Dessa forma, é possível evitar quedas, bem como lesões.

Isso porque, quando o músculo é treinado, ele pode responder mais rápido aos tratamentos iniciados para curar uma pequena lesão.

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.